terça-feira, 24 de novembro de 2015

23/11/2015 - Uma tentativa de assalto a uma casa de praia, na noite do domingo passado, resultou na morte de dois policiais civis, sendo pai e filho, e de um bandido, no bairro da Redinha, Zona Norte de Natal. Geraldo Costa, agente aposentado da Polícia Civil, e seu filho Allyrio Cavalieri Nobre de Souza, que havia entrado recentemente na corporação, foram baleados e mortos ao reagirem a investida de criminosos que invadiram a casa onde as vítimas participavam de uma festa.
De acordo com as investigações da Polícia Militar, por volta das 22h pai e filho estavam na festa quando os elementos armados invadiram o local e anunciaram o assalto, dando início a uma troca de tiros. Um dos bandidos foi atingido e morreu no local. Geraldo Costa foi alvejado na cabeça e morreu na sala da casa. Já seu filho, Allyrio Cavalieri, foi ferido com um tiro na cabeça e morreu ao ser levado a uma unidade médica.
Logo em seguida, a Polícia Militar apreendeu três adolescentes suspeitos de terem participação nas mortes dos policiais civis. Geraldo de Souza já estava aposentado e o filho dele, Allyrio Cavaliere Nobre de Souza, trabalhava na Delegacia de Polícia Civil da cidade de Campo Grande, região do Médio Oeste potiguar.
O policial civil Allison Godeiro, amigo e companheiro de trabalho de Allyrio Cavaliere, lamentou a morte do companheiro e repassou que a corporação está abalada, pois a Polícia Civil perdeu um grande agente. "Estamos todos chocados com as mortes de pai e filho, que dedicaram suas vidas à Polícia Civil. Trabalhei junto com Allyrio e sei do profissional dedicado que ele era. Além de um grande profissional, perdi um amigo", destacou Allison Godeiro.
No final da tarde de ontem, uma grande multidão se despediu de pai e filho, que foram sepultados no cemitério Morada da Paz, em Natal.
FONTE - MOSSOROENSE

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

POLICIAIS CIVIS ASSASSIANADOS EM SÃO JOSÉ DE MIPIBÚ

Os assassinatos dos dois agentes da Polícia Civil lotados na Delegacia de Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov) durante abordagem na noite de segunda-feira, dia 3, no km 114 da BR-101, na comunidade de Taborda, em Parnamirim, elevaram para quatro o número de policiais mortos no cumprimento do dever desde abril de 2010.
Emanuel AmaralBandidos tentaram fugir do local em caminhonete, após a troca de tiros com policiais civisBandidos tentaram fugir do local em caminhonete, após a troca de tiros com policiais civis

Jovanez de Oliveira Borges, 42 anos, e Antonio Pereira Pinto Neto, 48 anos, foram mortos ao participarem de uma investigação sobre o roubo da caminhonete S-10 cinza, placa NNZ-2923, de Tangará, depois rastreada por sinais de GPS e localizada próximo a um galpão situado uns 500 metros após o posto de combustível São José, no sentido de quem segue de São José do Mipibu para Parnamirim.

Por coincidência, ao chegarem em frente a área rural da empresa Village Real Agrobusiness, os dois agentes da Deprov viram os ocupantes de uma camionete cabine dupla branca, L200, modelo Triton, placa NIX-08475 de Picos (PI) em atitude suspeita, que ao pressentirem a presença da policia, saíram da rodovia federal para a marginal de areia, onde se esconderam atrás de um poste e de uma cerca, aproveitando a camuflagem do mato.

O delegado da Deprov, Frank Albuquerque, disse que pela cena do crime, os APCs Jovanez Borges e Antonio Pereira Neto foram alvejados a tiros de "armas longas" à queima-roupa e a uma distância de uns cinco metros: "Não deram chance de defesa".

A viatura em que se encontrava os dois APCs foi alvejada com nove tiros, oito dos quais atingiram a lateral direita do Meriva branco, placa MZR-6449 (ano 2003/2004), enquanto uma bala entrou pelo parabrisa dianteiro, quase rente ao capô e do lado do banco do passageiro, onde estaria sentado o policial Antonio Neto. O motorista do veículo seria o policial Jovanez Borges.

Na sequência, dois policiais de uma viatura da Polícia Civil de Parnamirim, que vinham atrás do Meriva, reagiram aos tiros disparados pelas quatro pessoas que tinham saído da Hilux, das quais três fugiram pela margem direita da BR-101, no sentido de quem volta para São José do Mipibu, e outro evadiu-se pelo lado direito da BR-101, no sentido de quem vai para Parnamirim.

Na troca de tiros com os policiais civis de Parnamirim, um dos bandidos foi alvejado e, de madrugada, a Polícia Civil o identificou como sendo Marcos Aurélio Amador Alves, o "Marcos Caçador", que fugiu dia 3 de agosto com mais oito presos da penitenciária estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta.

"Marcos Caçador" morreu depois de ser socorrido para um hospital, mas não se sabe se foi em decorrência de troca de tiros durante a caçada policial, ou se foi por causa de dois tiros disparados pelos dois policiais que vinham atrás da Meriva da Deprov e atingiram a parte inferior do parabrisa da Hilux pelo lado do passageiro.

Já no começo da tarde, o delegado geral da Polícia Civil, Fábio Rogério Silva, informava que tinha sido identificado um dos quatro membros da quadrilha: Clayton José Martins da Silva, natural de Caruaru (PE) e que há alguns anos tinha sido preso em Canguaretama com outros comparsas, portanto armas de grosso calibre e outros aparatos em atitude suspeita. Clayton Silva atua em assaltos a bancos e carros fortes nos estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

O secretário adjunto da Defesa Social e Segurança Pública, Clidenor Cosme da Silva Júnior, informou que depois de identificado o morto "Marcos Caçador", a Policia chegou ao nome do segundo membro da quadrilha - "por alguma coisa deixada" - pelos quatro ocupantes da L200, que teriam assaltado, na tarde de anteontem, duas agências dos Correios, em Bom Jesus e Lagoa de Pedras.

Silva Júnior disse que os integrantes dessas quadrilhas sempre estão mudando de bando, "mas a gente sabe sabe geralmente com quem andam".

Sesed emite nota de pesar por morte de policiais civis

A Delegacia Especializada em Combate ao Crime Organizado (Deicor) vai investigar os homicídios dos policiais civis Jovanez de Oliveira Borges, morto na noite de anteontem e que era casado e deixou dois filhos (um menino de nove anos e uma menina de três), e de Antonio Pereira Pinto Neto, que morreu no começo da manhã de ontem depois de passar por cirurgia no Pronto-Socorro Clóvis Sarinho. Seded emitiu nota de pesar pelas mortes. Outro policial que morreu no cumprimento do dever foi José Luciano de Oliveira, que era diretor do Sindicado da Polícia Civil do Rio Grande do Norte (Sinpol) e foi morto a tiros na noite de 27 de abril de 2010, quando fazia uma "campana" pela Delegacia de Combate ao Narcotráfico (Denar) em Felipe Camarão. Em 11 de março do ano passado, o policial civil Sidney Alves Lucas morreu na porta de casa. O corpo de Jovanez Borges foi sepultado às 18 horas de ontem, no Cemitério Morada da Paz, em Emaús, Parnamirim, enquanto o corpo do policial Antonio Pereira Neto, que era irmão do coronel PM Wellington Alves, estava dando entrada na aposentadoria, será enterrado às 9 horas de hoje, no Cemitério Parque de Nova Descoberta. Os dois policiais mortos em serviço eram da 1ª classe dos quadros da Sesed.

Foragido de Alcaçuz entre os assassinos

Marcos Aurélio Amador integrou a quadrilha chefiada pelo falecido Valdetário Carneiro, que 4 de junho de 2002 participou do assalto a três agências bancárias de Macau, que resultou na morte do delegado da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Robson Luís Medeiros Lira, então com 42 anos.

"Marcos Caçador" teria deixado cair uma metralhadora 9 mm, de fabricação alemã, depois de alvejado por policiais civis de Parnamirim, além de um revólver 38 deixado pelos integrantes da quadrilha durante a ação policial da noite de anteontem. Quando ele foi encontrado, na madrugada, ainda estava de posse de um revólver 38 e um pente de bala de fuzil 566.

Já na época que ele participou do assalto em Macau, a quadrilha era formada por uns 15 bandidos, que assaltaram três agências bancárias, uma da Caixa Econômica Federal, uma do Banco do Nordeste e uma do Banco do Brasil, além de estabelecimentos comerciais. Robson Lira foi morto com um tiro na cabeça, ainda dentro do carro da Polícia.

A Associação dos Delegados de Polícia Civil (Adepol) emitiu uma nota de solidariedade aos familiares e amigos dos agentes Jovanês Oliveira e Antônio Neto, mortos durante uma ação policial em São José do Mipibu.

No documento, assinado pela delegada-presidente Ana Cláudia Saraiva, a Associação coloca parte da culpa da morte dos policiais no Governo do Estado, pontualmente pela omissão nas lutas por melhores condições de trabalho e por mais segurança para a Polícia Civil.

A Adepol ainda aponta a negligência do Estado em manter presos as pessoas condenadas por crimes, pois Marcos Amador era fugitivo do presídio de Alcaçuz, que "há anos vive uma realidade de superlotação sem que o estado tome as providências necessárias para a abertura de novas vagas no sistema prisional".

Em relação às críticas de que o helicóptero da segurança pública não participou das diligências para localizar os assaltantes, o secretário adjunto de Defesa Civil, Clidenor Silva Júnior, explicou que a aeronave estava em manutenção até o domingo, dia 2, mas depois voou para participar de uma operação da Força Nacional em Alagoas.

Silva Júnior explicou que o comandante da aeronave é cedido pela Força Nacional, com quem o Estado tem um convênio, "como contrapartida para quando precisar". Segundo ele, os dois pilotos do Rio Grande do Norte ainda não estão habilitados para o comando da aeronave, na qual atuam como co-pilotos.
FONTE: TRIBUNA DO NORTE

sábado, 31 de dezembro de 2011

Corregedoria investiga irregularidades em gestão de delegado


O delegado regional da cidade Macau, Antônio Pinto, passará a ser investigado por possível irregularidades na aplicação de verbas públicas no ano de 2005. Segundo o corregedor geral de Polícia, Francisco de Sales Felipe, o alvo da apuração são relatórios administrativos irregulares assinados pelo servidor. O delegado nega irregularidades. As investigações foram determinadas por portaria assinada pelo corregedor geral e publicada nesta quarta-feira (2/12/2011) no Diário Oficial do Estado (DOE).

O texto do documento afirma que a apuração deve a existência de “indícios de aplicação irregular de dinheiro público, lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio estadual, referentes às verbas oriundas dos convênios celebrados entre a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (5ª Delegacia Regional de Polícia) e a Prefeitura Municipal de Macau, fatos estes ocorridos no citado município, no ano de 2005, nos termos do relatório do PAD nº 009/2008, cujo teor aponta indícios de ilícitos administrativos, em tese, praticados pelo referido servidor”.

Antônio Pinto, por sua vez, garante que não houve qualquer irregularidade durante a sua gestão naquele ano. Responsável pela delegacia de Macau desde 2009, ele afirma que em 2005, quando também foi titular daquela regional, expediu relatórios regularmente. Ele explica que durante os anos de 2006 e 2008, não estava à frente da regional e não pode responder por atos administrativos da unidade nesse período.

Fonte: DN online
Foto: Google Imagens

quinta-feira, 1 de julho de 2010

POLICIAL CIVIL É PRESO DURANTE OPERAÇÃO

FONTE PRINICIPAL: NOMINUTO, COPIADO DO BLOG SOLDADO GLAUCIA


O agente de Polícia Civil José Robson da Silva foi preso na manhã desta quinta-feira (1º) durante a operação Mão na Roda. Robson é suspeito de repassar informações privilegiadas de investigações a pessoas que integram a quadrilha desbaratada na operação. O agente trabalha no 2º Distrito Policial, nas Rocas.

"Vínhamos investigando o Robson há algum tempo por causa de denúncias que existiam contra ele. A acusação é de que ele repassava informações de investigações sobre a quadrilha presa aos integrantes do bando. Agora, cumprindo um mandado judicial, nós o prendemos preventivamente", explicou um policial.

As investigações da operação Mão na Roda foram comandadas pela delegada Alzira Veiga, da Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista (Deatur), que trabalhou em caráter especial no caso. O subsecretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ben-Hur Cirino de Medeiros, foi quem planejou a ação iniciada ainda na madrugada desta quinta e que contou com a participação de mais de 200 policiais.

"O que posso adiantar é que foi um trabalho exitoso, com muito planejamento. Nossa polícia vai continuar investigando crimes e mostrando resultados", ressaltou Ben-Hur.

As investigações da operação Mão na Roda foram iniciadas em janeiro. O objetivo da ação era de desarticular uma quadrilha especializada em arrombar carros para furtar aparelhos de toca-CD e estepes. Até o momento já são 24 pessoas presas.


segunda-feira, 21 de junho de 2010

HOMEM TENTA AGREDIR POLICIAL FEMININA NA ESTAÇÃO DAS ARTES E ACABA PRESO

FONTE - BLOG TOXINA

Imagem retirada da internet, meramente ilustrativa
Uma patrulha formada por três policiais militares femininos pode ter despertado o “instinto agressor” de A G S F, desocupado, residente no bairro Belo Horizonte.
.
Flagrado pelas policiais militares provocando desordem dentro da Estação das Artes, A G S F, revoltou-se contra as três PMS após ser advertido e tentou agredir uma delas. Mal sabia ele que as policiais eram treinadas e o renderam facilmente.
.
Alguns populares que se encontravam próximo da ocorrência se revoltaram contra a atitude de A G S F e ainda tentaram agredi-lo, mas foram contidos pelas policiais. O acusado foi encaminhado para o Posto de Comando da PM onde permaneceu por algum tempo sendo liberado em seguida, após ser qualificado.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

ASSASSINO DE POLICIAL É PRESO

Um dos bandidos mais perigosos do Rio Grande do Norte foi preso na madrugada desta sexta-feira 918/06/2010) na cidade de Assú. O latrocida Eristênio Gonzaga de Souza, de 26 anos, era foragido de Alcaçuz e tinha sido preso assaltando na capital paraibana há dois anos. Tendo fugido no dia 24 de março do presídio de João Pessoa-PB.

Eristênio estava em uma festa no centro de Assú-RN quando foi preso por policiais da 2ª Seção do 10º BPM.

“Papel”, como Eristênio é conhecido no Rio Grande do Norte, é acusado de dois latrocínios.

Em 2001, ele teria matado o corretor de imóveis Paolo Bruno Maia Moura, após um assalto. Já em 2005, teria matado o policial militar Emerson Silva de Macedo.

O assaltante fugiu da penitenciária de Alcaçuz no dia 27 de abril de 2005. Além desses latrocínios, Eristênio Gonzaga é acusado de um assalto também na Paraíba, no dia 26 de janeiro de 2008.

Na ocasião, cerca de seis homens fortemente armados, entre eles Eristênio, assaltaram o Posto 10 da Operação Manzuá. Durante a ação dos criminosos, três policiais militares foram espancados.

Só existe um lugar que ele nunca irá conseguir fugir!

PARABÉNS AOS POLICIAIS DE ASSÚ!
FONTE - BLOG DO CABO HERONILDES

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

PORTAL TERRAS POTIGUARES  NEWS
A SUA ENCICLOPÉDIA DIGITAL, COM 15 BLOGS E 1338 LINKS

Quem sou eu

Minha foto
ESTE É O 9º BLOG DO PORTAL OESTE NEWS, CRIADO PELO STPM DA RR PM JOTA MARIA, DA GLORIOSA E AMADA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

Minha lista de blogs